Quero um mundo mais sustentável, mas não quero mudar… e agora?

Queremos um mundo melhor certo? Mas será que estamos prontos para isso? Você está disposto a mudar para que você tenha um mundo melhor e mais sustetável?

Primeiro, o que é ser sustentável? Ser sustentável estár relacionado ao conceito de Desenvolvimento sustentável e os três pilares que se apoiam este conceito: social, econômico e ambiental ou ecológico.

Pensando então nesses 3 pilares, como podemos agir? É uma excelente pergunta para pensarmos em possíveis respostas e fazer uma “tempestade de ideias” (ou brainstorming) de possibilidades. Bom, eu  fiz para vocês e vim aqui compartilhar. Lembrando que esses três pilares se interconectam, ou seja, o social se conecta com o econômico e ambiental, o ambiental se conecta com o social e econômico e o econômico se conecta com o social e ambiental. 

*Giphy
  1. Pensando no social e econômico, você contribui com alguma comunidade que produz alimentos orgânicos ou baseados em agroflorestas? Ou seja, onde você compra suas hortaliças, verduras, legumes, frutas?
  2. Ainda pensando no social, você sabe de onde o alimento que você consome vem? Isso é importante para saber se estamos contribuindo com comunidades locais, pequenos agricultores locais, empresas que fazem projetos de conservação do meio ambiente ou que tem meios de produção menos impactantes ao meio ambiente. 
  3. Você consome mais alimentos naturais/orgânicos, como frutas, legumes, verduras ou mais enlatados, alimentos processados e congelados, como lasanhas, pizzas etc? Se for o primeiro caso, você produzirá mais resíduo orgânico, que pode ser compostado, reduzindo a quantidade de lixo que vai parar em aterros e lixões, e reduzindo o impacto negativo sobre o meio ambiente. Se você consome mais alimentos do segundo grupo, é provável que você produza mais resíduos sólidos, que muitas vezes não são recicláveis. E, com isso, contribui com o impacto negativo sobre o meio ambiente, pois mais lixo irá para aterros e lixões a céu aberto, contaminando o solo, a atmosfera e o nosso reservatório natural de água (lençóis freáticos). 
  4. Você composta seus resíduos orgânicos ou contribui com alguma empresa que o faz? Se você não tem composteira em casa, você pode contratar com serviços de compostagem. O legal desses serviços é que você ganha mudas de hortaliças ou adubos, resultados da compostagem do seu próprio lixo. Além disso, pode contribuir para o recebimento de verduras, legumes e frutas semanalmente cultivados sobre o processo de compostagem. São produtos orgânicos, livres de agrotóxicos que irão aumentar sua saúde e a saúde do solo onde esses alimentos são cultivados. 
  5. Você costuma comprar por impulso? As compras por impluso tem impactos ambientais e na qualidade de vida. Muitas vezes as compras por impulso estão associadas a problemas de saúde mental, como depressão e ansiedade. Por isso, é importante refletir as reais motivações pelas quais você está comprando: se por necessidade ou impulso. Além disso, compras geram mais resíduos (as embalagens e sacolas). E nem todos doam ou revendem suas roupas. Muitas pessoas jogam fora roupas que poderiam serusadas por outras pessoas, gerando mais resíduos. 

Esses foram alguns exemplos, mas você pode continuar essa lista na sua casa.

E você pode estar se perguntando: como posso mudar e implementar essas mudanças?

(Essa é uma excelente pergunta!) *Giphy

É simples: reflita seus comportamentos. Pare um tempinho e escreva, liste os comportamentos que você acha que poderia mudar para o seu bem, o bem do planeta e das futuras gerações.

Depois que escreveu essa lista, escolha UM único comportamento para mudar. A partir desse comportamento selecionado, liste o que você pode fazer diferente referente somente a este comportamento.

Você quer cuidar da melhor forma do seu lixo orgânico, por exemplo. Então, você pode investigar sobre compostagem, como montar uma composteira, ou como comprar uma composteira, qual a melhor composteira para o espaço que você tem. Ou você pode ir atrás de serviços que fazem isso para você. Colocar tudo no papel e decidir o melhor para você, tanto em termos financeiros, quanto de energia.

Ou seja, o que é de menor custo e o que vai te dispensar menos energia? Liste, escolha e coloque em prática.

Depois que esse primeiro hábito escolhido estiver funcionando de forma automática para você, volte à sua primeira lista e elenque um segundo comportamento que queira mudar. Faça todo o processo novamente. E assim vamos, com pequenas ações no nosso dia-a-dia, mudando nossos comportamentos, nossa realidade e consequentemente o mundo a nossa volta. 

*Giphy

Gravei um vídeo exatamente sobre este assunto, caso prefira ver a ler! 😉

Se gostou, se inscreva em nosso canal1 😉

Se curtiu, deixe seu comentário e compartilhe para quem acha que irá curtir também!

Ajude uma cientista!

Se você é leitora/leitor ativa/ativo e gosta de nossos conteúdos, deixe uma contribuição para contiuarmos e ampliarmos o nosso trabalho de escrita e divulgação de ideias científicas.

R$10,00

Publicado por Carol Bernardo

Sou a Carol. Também sou bióloga, ecóloga e economista, bailarina, mãe de duas cãs, professora universitária, pesquisadora por paixão, vascaína por opção, carioca de nascimento, brasiliense de coração e escritora nas horas vagas.

2 comentários em “Quero um mundo mais sustentável, mas não quero mudar… e agora?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: